domingo, abril 23, 2017

Buda nagô



José das quartas-feiras, santo homem, com quem um dia me encontrei. 
Tinha um olhar ferino e respirava como quem reza uma novena. Andava pela feira livre, comprava sacos de castanha, carne, verduras. 
Sorria, perdendo os paços de boteco em boteco e ruas porque andou. Previa as chuvas. 
Vestia um terno branco nas quartas-feiras e saia elegante a dar conselhos. 
Uma vez disse-me que todos somos presas de nossos desejos e que a elegância era uma roupa que se levava anos para se vestir. 
Ria-se todinho. Riso gostoso de se ouvir Buda nagô, filho da casa real. Muito me ensinou. 

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Quem procura...