quinta-feira, agosto 21, 2008

Mamãe e o sentido da vida



Quando estamos nos sonhos dos outros?
E quando os outros estão em nossos sonhos?...
Já não sonho a um bom tempo com ela. E se sonho, já não lembro que sonho mais.
Me lembrei de quando era menino, e de como o sentido da vida era trivial. Hoje esse sentido se perde da miríade de estrelas que as nuvens de chuva das noites de agosto teimam em esconder.

4 comentários:

Renatinha disse...

Acho q o sonho tem um significado bem além do q dizem cientistas e astrólogos. Somos nós, sem corpo e com umas misturas doidas da nossa cabecinha terráquea =)

Alexandre disse...

Olha só, pode ser uma viagem astral.
Ou pode ser um bando de bobeiro do seu subconsciente.

;-)

Carolina disse...

Certa vez me perguntaram quem era mais importante no ecossistema: o homem ou as plantas. Matutei e fiquei sem ter o que dizer. Obtive essa aí como resposta: "não há o mais importante, somos todos importantes. Planctons ao sabor da ondas do mar.

O lembrar parece prevalecer sobre as lembranças.

Beijos grande, amigo! Saudades!!

27 de Agosto de 2008 20:05

DW disse...

Rsss vcs chegaram no ponto, eu acho. =]
Sonhar tem dessas coisas né? Acredito que eles são reveladores, das bobeiras, de nós, das misturas doidas do dia. Valeu mesmo Jornalista e bem vindo Alexandre, observações são sempre bem vindas pra mim.
Carol's. Com certeza somos planctons amigos nesse marzão... E o lembrar talvez acabe sendo mesmo supremo sobre as lembranças.
Saudades de você tbm.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Quem procura...