quinta-feira, abril 04, 2013

Sobre a passagem do tempo





Devagar....
Os dois dormiam sentados, um ao lado do outro. Dormiam com uma comodidade de décadas de sono.
O calor, a casa que os acolhera a mais de quarenta anos a parar o sol da tarde, deixando passar pelas persianas da janela o vento quente que traz a preguiça e a moleza.
Eles a cochilarem, os cabelos brancos, as cabeças encostadas. Se por acaso dissessem que os pagaram dormindo no sofá, negariam categoricamente. Estavam "descansando a vista".
O mundo passava, caminhava do lado de fora da casa. As pessoas, carros, ônibus a passarem e eles alheios a tudo isso, com um relógio de horas diferentes, com ponteiros a se moverem segundo suas próprias leis.
Penso no tempo que os observo cochilar, ao acordarem quando os netos chegam ao final da tarde. Bem acolhidos nos braços dos avós, com cheiros, beijos.
Os brinquedos espalhados, eles a se fazerem de aprendizes das descobertas mirabolantes das crianças, compartilhando das mesmas surpresas diante do óbvio.
Eu observo e escrevo o tempo.
Lá fora o mundo corre, apressado. Lá dentro há pressa, de carinho.

2 comentários:

Américo Pinheiro disse...

Cara tá massa o visual do blog, tô com uns dois pelo Wordpress mas tô pensando em mudar pra cá, pelo menos dá pra editar o visual todo (inclusive inserir esse esqueminha de posts relacionados que é o bicho, acho que no Wordpress não dá). A propósito, texto perfeito, cara, parabéns. Abração do seu (distante) amigo :)

Tempestade disse...

Que bom te ver por aqui Getufu! Depois manda os links do teu blog, com certeza vou gostar de dar uma passada neles.
Abração

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Quem procura...