segunda-feira, junho 15, 2009

Breath

Lyonesse - Johanna Pieterman

Nessas noites de chuva fico olhando os gatos que rondam os telhados das casas. Despreocupados caminham. Seguindo sua fome e seu cio, tocam as patas nas telhas molhadas das casas abaixo do andar do meu prédio.
Pergunto-me se há poesia na vida cotidiana. Se debaixo de todas as contas do mês pra pagar, ainda resta um pouco de Oscar Wilde, Clarisse Lispector, Fernando Pessoa.
Um mundo louco a beira do colapso e eu penso na minha sobrinha de olhos verdes que tem menos de 1 ano de vida e fico com saudades. Saudades de vê-la batendo palmas para o nada e por vezes olhar fixamente em meus olhos, rindo abertamente sem nenhum dentinho.

Há muito tempo eu não caminho pelos telhados molhados das casas. Nunca tive vocação para felino.


Trilha sonora:
Pink Floyd: Breath


Pink Floyd: Breath (reprise)

Um comentário:

Lu Andrade disse...

Tempestade ou DW,
Já tive este questionamento também e preferi não analisar. A sensibilidade, poesia e as demonstrações de arte estão vagando para um precipício de omissão e incertezas. Os telhados estão escorregadios e cinzentos, tenha cuidado. Beijos. Vou sempre segui-lo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Quem procura...